SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

ÓBITO DE IDOSOS POR CARDIOMIOPATIAS EM SANTA CATARINA

Maria Eduarda Coelho da Maia, Júlia Teodoro Stuepp, Carolina Turra Fadanelli, Eduarda Miot Panazzolo
Universidade do Sul de Santa Catarina - Tubarão - Santa Catarina - Brasil

Introdução: As cardiomiopatias são doenças associadas à disfunção cardíaca. O aparecimento dessa condição na população é considerável, sendo a estimativa global da incidência da cardiomiopatia dilatada 1 a cada 250 indivíduos. Desse modo, o presente estudo visa a propor uma análise das variantes epidemiológicas que interferem no número de óbitos de idosos por Cardiomiopatias no estado de Santa Catarina. Metodologia: Trata-se de um estudo ecológico, cuja área analisada foi o estado de Santa Catarina. A população estudada foi o grupo de idosos residentes na área e que foram a óbito por Cardiomiopatias (CID-10 I42) no período entre Janeiro de 2010 a Dezembro de 2019. Considerou-se como idoso qualquer indivíduo com idade 60 anos. Os dados usados foram obtidos pelos dados do Sistema Único de Saúde DATASUS. As variáveis analisadas foram: sexo, cor/raça e município. A partir dos dados, foram construídas novas tabelas, por meio do programa Microsoft Excel® e Microsoft Word®. Resultados: A região da Grande Florianópolis apresentou número superior, 36,7%, dos óbitos por CID-10 I42 no estado em comparação às outras 6 microrregiões. Não houve declínio nem crescimento linear de casos apresentados. O presente estudo encontrou predominância na raça branca em ambos os gêneros, com 92,2% dos casos. Um achado importante é a discrepância entre os óbitos nos pardos ao comparar Santa Catarina e o Brasil, o estado teve 3,6% dos casos nesta raça, enquanto no país a taxa foi de 35%, um número muito mais significante. Ainda, em relação aos sexos, o masculino liderou com 52,4% dos óbitos e o feminino 47,5%. Sendo o masculino mais prevalente em todas as idades, exceto 80 anos ou mais. A faixa etária acima de 80 anos obteve maiores taxas de óbitos por Cardiomiopatias do ano de 2011 a 2019 no estado em comparação com as outras, com 39,7% do total de óbitos.Conclusão:. A região da Grande Florianópolis, abrangendo a capital do estado, possui maior número de óbitos por CID-10 I42 em comparação às outras microrregiões. Ainda, a idade predominante da mortalidade foi 80 anos e mais velhos no presente estudo. Quanto à raça, a branca registrou quase a totalidade dos óbitos, além disso, o sexo masculino também se destacou em quantidade de mortes na população idosa, no entanto as diferenças entre os sexos não foram tão significativas. Compreender a distribuição das taxas de mortalidade por Cardiomiopatias em idosos na região e suas variantes epidemiológicas é fundamental para embasar ações em saúde mais adequadas.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021