SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Extrato da folha de Citrus bergamia melhora a disfunção cardíaca de ratos obesos: uma nova abordagem terapêutica

SIQUEIRA, JS, NAKANDAKARE-MAIA, ET, SILVA, CCVA, PALACIO, TLN, BARON, G, ALDINI, G, BAZAN, SGZ, FERRON, AJT, FRANCISQUETI-FERRON, FV, CORRÊA, CR
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - - SP - BRASIL, UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI MILANO - Milão - MI - Itália

Introdução: A obesidade é uma condição metabólica caracterizada pela adipogênese excessiva que pode trazer complicações à saúde, dentre elas a disfunção cardíaca. A busca por compostos bioativos tem sido alvo de pesquisas, uma vez que podem ser facilmente implementados na rotina alimentar por reduzirem o risco de doenças e o consumo de medicamentos. A bergamota (Citrus bergamia) surge como uma nova possibilidade terapêutica frente à diferentes doenças, dentre elas as cardiopatias. O objetivo foi avaliar o efeito do extrato da folha de bergamota sobre a disfunção cardíaca induzida pela obesidade. Método: Ratos Wistar Machos (n=40) foram divididos aleatoriamente em dois grupos com dieta Controle (C, n=20 animais) e dieta Rica em Açúcar e Gordura (HSF, n= 20 animais) por 20 semanas (CEUA: 1337/2019). Após confirmação da disfunção cardíaca por ecocardiograma, os animais foram divididos em 4 grupos recebendo dieta Controle (C, n=10 animais), dieta Controle + Extrato da Folha (C + Fo, n=10 animais), dieta Rica em Açúcar e Gordura (HSF, n=10 animais) e dieta Rica em Açúcar e Gordura + Extrato da Folha (HSF + Fo, n=10 animais) por 10 semanas ad libitum. O extrato das folhas de bergamota foi administrado diariamente por gavagem na concentração de 50mg/Kg de peso diluído em água potável e os grupos placebo receberam somente água potável por gavagem.  Os grupos com dietas HSF receberam sacarose na água de beber em concentração de 25%. Os animais foram avaliados quanto ao índice de adiposidade e à função cardíaca. Os grupos foram comparados por teste T student na 20ª semana e por ANOVA Two way com post hoc de Tukey ao final do protocolo experimental; p< 0,05. Os dados apresentados em média ± desvio padrão ou mediana (intervalo interquartil).Resultados:  Na 20ª semana foi diagnosticada a disfunção cardíaca demonstrada pela fração de ejeção (C: 0,95±0,027 vs HSF: 0,91±0,04, p<0,001) e razão E/E’ (C: 14,69±1,51 vs HSF: 25,62±4,01, p<0,001). Na 30ª semana o tratamento com Bergamota melhorou o débito cardíaco (HSF: 72,1(64,70-79,06) vs (HSF+Fo: 103,31(99,13-122,68) p<0,001), índice cardíaco (HSF: 124,11±22,52 vs HSF+Fo: 185,18±40,91, p<0,001), fração de ejeção (HSF: 0,91±0,02 vs HSF+Fo: 0,93±0,01 p<0,001), razão E/E’ (HSF: 22,11(19,84-26,93) vs (HSF+Fo: 15,81(15,02-16,32), p<0,001) e do Índice de Adiposidade (HSF: 8,58±1,69 vs HSF+Fo: 6,81±1,75 p=0,008).Conclusão: O tratamento com extrato da folha de bergamota apresenta-se como uma nova abordagem terapêutica coadjuvante melhorando a disfunção cardíaca em ratos obesos.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021