SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Acidente Escorpiônico e Miocardite Aguda - Relato de Caso

Mendes, F., Antônio, E. A., Merli, B. L. A., Passos, H. M., Sartini, R. J. P., Pacheco Jr., S. J. D., Pelai, D. B.
Hospital Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba - Piracicaba - São Paulo - Brasil

INTRODUÇÃO: O envenenamento por escorpião é um problema de saúde significativo, particularmente em regiões tropicais. O curso clínico pode variar desde achados locais leves a sistêmicos graves, com risco de vida. Os efeitos cardiovasculares e o edema agudo de pulmão são as complicações com maior mortalidade.

RELATO DE CASO: MGCC, 14 anos, sexo feminino, admitida no serviço de Emergência da Santa Casa de Piracicaba após picada de escorpião no segundo pododáctilo direito há 13 horas. A paciente apresentava-se torporosa e hipocorada, com queixa de náuseas e vômitos. Previamente asmática, sem uso regular de medicamentos. À aferição dos sinais vitais, pressão arterial 70x60 mmHg, frequência cardíaca 155 bpm, frequência respiratória 40 irpm e temperatura de 38,0°C. No exame segmentar, presença de turgência jugular e estertores crepitantes em ambas as bases pulmonares, bulhas cardíacas rítmicas e normofonéticas, extremidades frias e mal perfundidas. Em seguida, paciente evoluiu com piora clínica e hemodinâmica, com necessidade de intubação orotraqueal e uso de drogas vasoativas. O eletrocardiograma apresentava alterações difusas da repolarização ventricular. O ecocardiograma revelou câmaras cardíacas normais, disfunção sistólica moderada a acentuada do VE, com acinesia inferior e hipocinesia dos demais segmentos, e disfunção sistólica do ventrículo direito. Aumento sérico importante de troponina e NT-proBNP. Após estabilização clínica, a investigação cardiológica foi complementada com a ressonância nuclear magnética cardíaca, que evidenciou sinais compatíveis com miopericardite aguda e discreta fibrose lateral. Instituída terapia para insuficiência cardíaca, com inibidor da enzima conversora de angiotensina, antagonista mineralocorticoide e beta bloqueador, nas maiores doses toleradas. Novo ecocardiograma realizado no dia da alta hospitalar, após 14 dias de internação, revelou função contrátil sistólica e diastólica dos ventrículos preservada.

DISCUSSÃO: Os mecanismos pelos quais o veneno do escorpião provoca lesão miocárdica e disfunção sistólica ainda são objetos de grande controvérsia.Pensa-se que a miocardite por escorpião esteja associada à isquemia miocárdica, atividade catecolaminérgica aumentada e ao efeito direto da toxina nas fibrilas do miocárdio. Sua apresentação é caracterizada por um profundo e reversível envolvimento biventricular. O diagnóstico precoce através do exame clínico, laboratorial e de imagem é indispensável para uma conduta terapêutica adequada, reduzindo a fatalidade dos casos e contribuindo para a resolução completa do quadro.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021