SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Cronotipo matutino influencia em melhores escores de práticas alimentares saudáveis e menor alimentação emocional durante o isolamento social da COVID-19

Glaice Aparecida Lucin, Camila Guazzelli Marques, Ana Carolina Oumatu Magalhães, Marcus V.L. dos Santos Quaresma, Ronaldo Vagner Thomatieli dos Santos
CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO - SÃO PAULO - SÃO PAULO - BRASIL

Introdução: A pandemia da COVID-19 desafiou a população em múltiplas dimensões do comportamento humano, inclusive, alterando potencialmente os horários das atividades diárias, desfavorecendo a manutenção dos ritmos biológicos e impactado os diferentes cronotipos. Paralelamente, o cronotipo também pode afetar a realização das atividades cotidianas e sociais, incluindo, a alimentação e o comportamento alimentar. Objetivo: Verificar a influência do cronotipo sobre dimensões do comportamento alimentar e práticas alimentares durante o isolamento social devido à pandemia da COVID-19. Métodos: Trata-se deum estudo transversal realizado entre 27/04 e 25/05 de 2020, período que o estado de São Paulo apresentava uma taxa média de isolamento de 50,8%. Pelo método bola de neve, um questionário online foi compartilhado na plataforma Microsoft Forms® para coleta de dados. Para avaliação do cronotipo, foi aplicado a versão validada em português do Morningness-Eveningness Questionnaire. Para analisar os aspectos relacionados ao comportamento alimentar foi utilizado o Three-Factor Eating Questionnaire-21 validado para a população brasileira. Para mensurar as práticas alimentares, de acordo com as recomendações do Guia Alimentar para População Brasileira, uma escala multidimensional desenvolvida e validada no Brasil foi aplicada. A amostra foi composta por adultos (18-59 anos), ambos os gêneros, em isolamento social. Para verificar o efeito do grupo sobre uma variável dependente foi utilizado o teste ANOVA One-Way, seguido dos post-hoc de Tukey e Games-Howell, de acordo com a distribuição dos dados. Os dados foram descritos como diferença média (DM) e valor de p. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: Para a análise foram incluídos 724 adultos (585 mulheres e 139 homens). A idade média foi de 32,6 anos (±11,3) para mulheres e 33,5 anos (±10,5) para homens. O grupo definitivamente vespertino apresentou menor escore para práticas alimentares em comparação ao definitivamente matutino (DM=8.79; p=0.004). Os definitivamente vespertinos apresentaram maior pontuação para alimentação emocional em comparação aos definitivamente matutinos (DM=-21.6; p=0.015), moderadamente matutinos (DM=-24.4; p<0.001) e intermediários (DM=-17.3; p=0.015). Conclusão: Concluímos que durante o confinamento devido à pandemia da COVID-19, os matutinos apresentavam melhores escores para as práticas alimentares saudáveis e menor pontuação para alimentação emocional. Logo, o cronotipo parece ser um fator importante a ser considerado e investigado por profissionais da área da nutrição.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021