SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Miopericardite aguda induzida por Coronavac: relato de caso e revisão

Fernanda Castiglioni Tessari, Fernando Reis Menezes, Leonardo Nicolau Geisler Daud Lopes, Fábio Fernandes, Gabriel Mandarini Doho, Felipe Fontes Batista de Souza, Henrique Trombini Pinesi
Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, Rede D'Or - São paulo - São Paulo - Brasil, INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: A miocardite tem ganhado especial atenção no último ano dentro do cenário da Pandemia de Covid-19, tendo em vista tratar-se de uma manifestação potencialmente grave e associada a pior prognóstico. Nesse contexto, grande atenção também tem sido dada a possíveis efeitos colaterais da vacinação contra coronavírus. Sabe-se que, embora infrequente, diversas vacinas podem provocar uma resposta inflamatória com acometimento miopericárdico.Tais dados, ainda escassos na literatura, justificam a necessidade de nos mantermos alertas para esta reação.

Métodos: Esta é uma revisão de literatura e relato de caso de uma paciente que se apresentou ao serviço de emergência com quadro de dor precordial à semelhança de uma síndrome coronariana aguda após receber a segunda dose da vacina Coronavac, com elevação de troponina cardíaca. Submetida a cineangiocoronariografia, não sendo identificadas lesões obstrutivas. Realizada ressonância magnética cardíaca, que permitiu o diagnóstico de miopericardite provavelmente induzida pela vacinação, corroborada pela presença de sorologia positiva para coronavírus. Apresentou episódio de taquiarritmia atrial, evoluindo estável hemodinamicamente e assintomática após tratamento com colchicina, antiarrítmico e betabloqueador.  

Discussão: A miocardite associada à Covid-19 parece envolver tanto a ação direta do vírus sobre os miócitos quanto a ocorrência de reações celulares mediadas por linfócitos e reações desencadeadas por anticorpos, levando, enfim, ao dano miocárdico. Assim, propõe-se que este processo inflamatório também pode manifestar-se após a vacinação de indivíduos geneticamente predispostos.O cenário clínico-laboratorial compatível e a história de vacinação recente como único fator deflagrador detectado torna, frente às evidências disponíveis e à plausibilidade fisiopatológica, miopericardite induzida por Coronavac a principal hipótese diagnóstica para o caso.

Conclusão: Este é um relato de caso de provável miopericardite induzida pela vacina Coronavac: manifestação rara, porém potencialmente grave e que merece atenção por parte dos profissionais de saúde, especialmente frente à emergência de novas vacinas com seus efeitos adversos ainda não totalmente elucidados.    

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021