SOCESP
10 a 12 de junho de 2021

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Heterogeneidade da onda T em ECGs de repouso de 12 derivações está associada à mortalidade cardíaca em mulheres em 90 dias após admissão no pronto-socorro: estudo caso-controle

Felipe Rocha Monteiro , Ana Beatriz R. Evangelista, Bruce D. Nearing, Richard L. Verrier
Faculdade de medicina da USP - SP - SP - Brasil, Beth Israel Deaconess Medical Center - Boston - MA - EUA

Introdução:  O risco de morte cardíaca súbita mantém-se elevado nos primeiros meses após um infarto do miocárdio e há informações muito limitadas acerca de parâmetros do eletrocardiograma (ECG) que sejam capazes de detectar esse risco na fase inicial de um evento coronariano agudo. Nós testamos se a heterogeneidade da onda T (TWH), uma medida capaz de detectar alterações sutis da repolarização, seria capaz de predizer mortalidade cardíaca dentro de 90 dias após admissão no pronto-socorro (PS) em pacientes em avaliação para síndrome coronariana aguda (SCA). 

Métodos: TWH, isto é, a variação máxima de ondas T entre as derivações sobre a morfologia da onda T média gerada por computador, foi avaliada em microvolts e de maneira automatizada por análise de segundo momento central das derivações precordiais (TWHV4-6). Foram selecionados 888 pacientes admitidos no PS entre julho e setembro de 2018 e que realizaram pelo menos duas medidas de troponina com um intervalo máximo de 6 horas para a avaliação de SCA. Prontuários médicos e certificados de óbito foram analisados para identificar pacientes que faleceram dentro de 90 dias após a admissão no PS. Causas de morte não-cardíaca e ECGs de baixa qualidade foram os critérios de exclusão. Casos foram pareados com os controles em uma razão de 1:4 de acordo com idade e sexo por investigador cego em relação aos resultados do TWH.

Resultados:TWHV4-6 foi significativamente (p < 0.0001) maior nos ECGs de repouso de casos femininos (n=10, 100 ±14.9 µV) em comparação com os controles (n=40, 40 ± 3.7 µV).  TWHV4-6  gerou uma área sob a curva característica de operação do receptor (ROC) equivalente a 0,933 (p<0.0001) em mulheres e 0,573 (p = 0.4) em homens. Em mulheres, o ponto de corte de 48 μV produziu uma razão de chances ajustada para fatores de confusão equivalente a 121,37 (95% IC: 2,20-6.699,84; p = 0.02) com 100% de sensibilidade e 82.5% de especificidade. Na análise de sobrevivência pelas curvas de Kaplan-Meier, TWHV4-6 ≥ 48µV foi capaz de predizer a mortalidade cardíaca em mulheres considerando um tempo de seguimento de 90 dias com uma razão de risco de 27,84 (95% IC: 7,29-106,36, p<0.0001).  

Conclusões: Mulheres com valores de TWHV4-6  48 μV no ECG de repouso têm uma maior probabilidade de apresentar morte cardíaca dentro de 90 dias após a admissão no PS. Assim, esse marcador eletrocardiográfico pode ser útil no manejo de eventos cardiovasculares na população feminina, identificando mulheres que se beneficiariam de intervenções terapêuticas precoces e mais agressivas frente a um evento coronariano agudo. 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

41º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

10 à 12 de junho de 2021